Blog

Estudo sobre o Valor do SAPS 3 na predição de mortalidade em pacientes em pós-operatório de cirurgia cardíaca destaca-se em evento de cardiologia

Home » Blog » Estudo sobre o Valor do SAPS 3 na predição de mortalidade em pacientes em pós-operatório de cirurgia cardíaca destaca-se em evento de cardiologia

No dia 15 de setembro de 2018, durante o 73º Congresso Brasileiro de Cardiologia, em Brasília, foi apresentado o estudo sobre o Valor do Simplified Acute Physiology Score (SAPS) 3 na predição de mortalidade em pacientes em pós-operatório de cirurgia cardíaca, pela Dra. Marcia Freitas, médica cardiologista e Coordenadora da UTI Cirúrgica do Hospital Unimed Rio.

O trabalho, desenvolvido a partir de dados clínicos e epidemiológicos coletados na unidade de terapia intensiva cirúrgica do hospital Unimed Rio, através do Sistema Epimed Monitor, e das informações administrativas coletadas pelo Tasy, mostra que o escore SAPS 3 é calculado à admissão na UTI pelos médicos através do preenchimento de uma ficha eletrônica.  As variáveis avaliadas são coletadas na primeira hora de permanência na unidade e a pontuação obtida é confrontada com a probabilidade de óbito, calibrada para pacientes oriundos da América do Sul. Nesta investigação, realizada com um corte de 132 pacientes, a pontuação do SAPS 3 foi confrontada com a probabilidade de óbito e o desfecho na vida real.

O estudo aponta que a maior probabilidade de óbito correspondia a um escore de 50 pontos no SAPS 3. A realização da pesquisa clínica ficou a cargo da coordenação dos médicos da rotina da unidade com apoio do Hospital Unimed Rio.

“O estudo mostrou a relevância do SAPS3 na estimativa do prognóstico de pacientes submetido à cirurgia cardíaca. É importante ressaltar que os avaliadores se surpreenderam com a importância do escore e seu aparente poder discriminatório”, declara a Dra. Marcia Freitas.

71876 – VALOR DO SIMPLIFIED ACUTE PHYSIOLOGY SCORE (SAPS) 3 NA PREDIÇÃO DE MORTALIDADE EM PACIENTES EM PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA.
Apresentador: Marcia Barbosa de Freitas.

Leia mais: http://cardio2018.com.br/trabalhos/sessoes.php?e=2174#topo