Support & Downloads

Quisque actraqum nunc no dolor sit ametaugue dolor. Lorem ipsum dolor sit amet, consyect etur adipiscing elit.

s f

Contact Info
198 West 21th Street, Suite 721
New York, NY 10010
youremail@yourdomain.com
+88 (0) 101 0000 000
Follow Us

Publicação

Análise de dados de uma unidade de terapia intensiva após implementação de um software como ferramenta de gestão

Autores: Ananda Catharina Azevedo Silva1, Mauricio Gomes da Silva Serra1, Felipe Ferreira Ribeiro de Souza1, Gabriel Silva Rocha1, João Victor Moraes de Melo1, Suzane Pereira de Souza1, Lucio Couto de Oliveira
Junior2
1Universidade Estadual de Feira de Santana – Feira de Santana (BA), Brasil; 2Hospital Geral Clériston Andrade – Feira de Santana (BA), Brasil

Objetivo: Analisar o padrão de rotatividade de leitos de uma UTI e as características epidemiológicas dos pacientes após implementação de um software.

Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico e retrospectivo. Os dados foram coletados no período entre junho de 2016 e junho de 2017, usando o software EPIMED® monitor, aplicado em uma UTI adulto de um hospital público da Bahia.
A autorização para coleta e uso dos dados foi concedida pela instituição. Foram incluídos todos os pacientes internados no período independentemente de outros critérios de exclusão.

Resultados: Durante o período avaliado, ocorreram 759 novas internações, sendo 488 homens (64,29%) e 271
mulheres (35,7%). 50,7% (385) estavam dentro da faixa etária de 18 a 44 anos, seguido de 26,8% dos pacientes
(204), que estavam entre 45 e 64. A média de duração do internamento na nossa unidade foi de aproximadamente 9
dias. No período abordado, ocorreram 796 saídas, sendo que 562 pacientes (70,6%) evoluíram com alta e 234 vieram a óbito (29,39%). O índice de renovação/giro de rotatividade da UTI foi de 46,82. Já a taxa de ocupação calculada durante o período foi de 97,37%. Ocorreram apenas 3 reinternações (0,39%) dentro de 24 horas da admissão.
Conclusão: A UTI apresenta taxa de ocupação e giro de rotatividade elevados. Estes indicadores mostram a grande
demanda populacional que temos e alertam para o impacto na sustentabilidade da unidade e segurança dos pacientes. Esses dados permitem uma gestão mais embasada, possibilitando decisões baseadas em índices fidedignos.