Support & Downloads

Quisque actraqum nunc no dolor sit ametaugue dolor. Lorem ipsum dolor sit amet, consyect etur adipiscing elit.

s f

Contact Info
198 West 21th Street, Suite 721
New York, NY 10010
youremail@yourdomain.com
+88 (0) 101 0000 000
Follow Us

Publicação

Análise de eventos adversos extraídos da Epimed Solutions em uma unidade de terapia intensiva em Ponta Porã – MS: cidade fronteira Brasil x Paraguai

Autores: Raquel do Nascimento Amaral, André Bueno de Camargo, André Luis Gomes, Magnollya Moreno de Araújo Lelis, Antonio Monteiro Pinotti Affonso
Data da publicação: 2018

Objetivo: As discussões sobre segurança do paciente nas unidades hospitalares configuram uma tendência mundial e frequentemente tem sido abordado pela mídia. A publicação do relatório do Institute of Medicine (IOM), To Err is Human: Building a Safer Health Care System, no final da década de 90, demonstrou a partir da análise de grandes estudos epidemiológicos, a alta incidência de eventos adversos nas instituições hospitalares, frequentemente ocasionados pelo erro humano. Analisar os principais eventos adversos ocasionados num período de 1 (um) ano em uma unidade de terapia intensiva no Estado de Mato Grosso do Sul, fronteira com o Paraguai, tornando o estudo mais relevante pelo score de gravidade alto (>80%) devido a gama de violência regional.

Métodos: Trata-se de uma análise realizada através da Epimed Solutions, ferramenta utilizada para alimentação dos dados em tempo real com vistas a consolidação dos mesmos para emissão de relatórios de desempenho.

Resultados: Computou-se 58 (cinquenta e oito) eventos adversos ocorridos no período, chegando ao marcador de 5,91% de incidentes sem danos e 20,47 de incidentes com dano e, considerando a gravidade do incidente 3,64% computado como moderada, 9,10% como leve – sem maiores repercussões e 13,65% de incidentes com gravidade não informados. Os mais potenciais estão relacionados a falhas na extubação e incidentes com a cânula endotraqueal e lesão por pressão, causando dano ao paciente.

Conclusão: É crucial capacitar a equipe a cada relatório mensal extraído sistematicamente, uma vez que norteia a gestão para ações corretivas, potencializando a segurança do paciente.

http://rbti.org.br/suplementos