Support & Downloads

Quisque actraqum nunc no dolor sit ametaugue dolor. Lorem ipsum dolor sit amet, consyect etur adipiscing elit.

s f

Contact Info
198 West 21th Street, Suite 721
New York, NY 10010
youremail@yourdomain.com
+88 (0) 101 0000 000
Follow Us

Blog

A importância do projeto AMIB Adota para a melhoria da UTI

O Hospital João Paulo II, de Porto Velho (RO), teve sua unidade selecionada para o projeto AMIB Adota.

O projeto AMIB Adota seleciona uma UTI pública que tanto precise quanto esteja disposta a aprimorar seus indicadores de qualidade e em seguida presta assessoria gerencial, treinamento e aprimoramento técnico da equipe, bem como supervisão contínuas, com o objetivo de promover efetivamente a melhoria da qualidade assistencial dessa unidade.

Dentre os quesitos analisados para escolha da UTI foi a participação no projeto UTIs Brasileiras que visa estimular o uso de indicadores de qualidade e desempenho na gestão das UTIs brasileiras e, com isso, melhorar a qualidade da medicina intensiva e aumentar a segurança dos pacientes no Brasil.

“A escolha de apenas uma UTI foi muito difícil, pois gostaríamos de ter “adotado” todas. Entretanto, o entusiasmo com que a Dra. Thatyanne Borba, Coordenadora da UTI, buscou cumprir todos os quesitos para participar do projeto certame foi contagiante. Temos certeza de que estarão comprometidos com o desafio da melhoria contínua” – comenta Ederlon Rezende.

“Não é demais reiterar a importância do projeto AMIB Adota, pois acreditamos incondicionalmente no seu sucesso. Além disso, o entusiasmo demonstrado pela equipe da UTI escolhida é um motivo a mais para nós, responsáveis diretos pelo projeto, estarmos absolutamente empolgados.” – ressalta Ciro Leite, presidente da AMIB.

A Dra. Thatyanne Borba, coordenadora da UTI, do Hospital João Paulo II, fala sobre a importância deste projeto para a melhoria da UTI.

’’O projeto Amib adota veio como uma luz no fim do túnel, estávamos precisando de um incentivo e uma motivação para melhoramos. Hoje a realidade da saúde pública é muito ruim em todo país e em Rondônia não é diferente. Nós gerenciamos as vagas porque não existem para todos e a assistência é feita da melhor forma possível, mais ainda falta muito.

A possibilidade de termos o apoio e orientação de uma equipe tão sólida e respeitada nos trouxe o entusiasmo que precisávamos e estamos todos ansiosos para começar e colher os frutos disso. Queremos sim, sermos referência em cuidados de pacientes com trauma grave e com isso melhorarmos nossos desempenhos. O trabalho em equipe será primordial e tenho certeza que todos vamos nos empenhar para conseguirmos nos superar.”