Material Educativo

[Revisão de Artigo] Intraoperative interventions for preventing surgical site infection: an overview of Cochrane Reviews

Estima-se que a incidência de infecção de sítio cirúrgico (ISC) varie entre 1 a 5% no mês subsequente as cirurgias, podendo ser maior conforme particularidades do paciente ou da cirurgia. Devido ao grande número de cirurgias realizadas anualmente, o custo destas ISCs é alto tanto financeiramente quanto em impacto social. As ISCs podem resultar em atraso na cicatrização da ferida cirúrgica, além do aumento no tempo de internação do paciente, no uso de antibióticos (ATB), e nas taxas de mortalidade. Assim, ao longo da estória da medicina moderna, várias intervenções já foram propostas com o objetivo de reduzir a ISC em pacientes submetidos a cirurgia, por entender que sua prevenção é crucial.

Estas intervenções podem ocorrer em três estágios: no pré-operatório (consiste no período entre a indicação da cirurgia até o paciente estar na mesa de operação com a equipe pronta para o procedimento), no intra-operatório (período entre a indução anestésica e início da antibioticoprofilaxia até o fechamento da incisão cirúrgica), ou no pós-operatório (após o término da cirurgia até a sua resolução/cicatrização).

As intervenções intra-operatórias focam principalmente na antissepsia de pele usando sabão e antissépticos, no uso de barreiras para impedir que os microorganismos atinjam a incisão e o sítio cirúrgico, e nas medidas para garantir a homeostase (níveis normais de glicemia, temperatura, etc) do paciente submetido a cirurgia. A antissepsia e os métodos de barreira englobam tanto a equipe cirúrgica quanto o paciente.

Outras intervenções para prevenção de ISC podem ser direcionadas ao centro cirúrgico e as salas de cirurgia, e englobam sua limpeza/desinfecção assim como a circulação de pessoas nestes ambientes.

Dr. Débora Otero – infectologista e atual Vice-Presidente da AECIHERJ
 
 

Sobre a autora:

Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com residência em Clínica Médica e em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ). Trabalha com Controle de Infecções desde 2009 e trabalhou na Coordenação das CCIHS no município do Rio de Janeiro, foi Coordenadora da CCIH do HCII – INCA e atualmente trabalha como membro executor nas CCIHs do Hospital Universitário Pedro Ernesto – UERJ, do Hemorio e do Hospital Adventista Silvestre. É membro da Diretoria da AECIHERJ – Associação de Estudos em Controle de Infecção Hospitalar do Estado do Rio de Janeiro desde 2013, inicialmente como membro do Comitê Científico e atualmente como Vice-Presidente da AECIHERJ.

Revisão de Artigo:

Liu Z, Dumville JC, Norman G, Westby MJ, Blazeby J, McFarlane E, Welton NJ, O’Connor L, Cawthorne J, George RP, Crosbie EJ, Rithalia AD, Cheng HY. Intraoperative interventions for preventing surgical site infection: an overview of Cochrane Reviews. Cochrane Database of Systematic Reviews 2018, Issue 2. Art. No.: CD012653. DOI: 0.1002/14651858.CD012653.pub2.

Clique no botão abaixo para ler o material completo.